Procedimento Operacional Padrão

Produtos

OS POPS, MBP E PGRSS DESENVOLVIDOS PELO DEPARTAMENTO TÉCNICO DA L&L CONSULTORIA & MARKETING FORAM ELABORADOS COM O INTUITO DE TRAZER PRATICIDADE À ROTINA DE TRABALHO.

OS PROCEDIMENTOS E MANUAIS ESTÃO DESCRITOS DETALHADAMENTE E DE FORMA CLARA, A FIM DE ATINGIR UM BOM ENTENDIMENTO POR PARTE DOS COLABORADORES.

ALÉM DISSO, VÁRIOS ASSUNTOS ESTÃO INSERIDOS EM UM SÓ POP, O QUE FACILITA A PROCURA PELO ASSUNTO QUANDO HOUVER NECESSIDADE DE CONSULTAS. ESTES DOCUMENTOS DEVEM FICAR EM LOCAL DE FÁCIL ACESSO AOS COLABORADORES, QUE DEVEM CONSULTÁ-LOS SEMPRE QUE HOUVER DÚVIDAS.

NÃO PERCA A OPORTUNIDADE DE ORGANIZAR SUA ROTINA, ECONOMIZAR TEMPO E ATENDER TODAS AS SOLICITAÇÕES DA VIGILÂNCIA SANITÁRIA.

DESCRITIVO:
PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS:

  • EMISSÃO DE POP's
  • AQUISIÇÃO DE MATERIAIS
  • RECEBIMENTO DE MATERIAIS
  • ARMAZENAMENTO DE MATERIAIS
  • CONTROLE DE ESTOQUE
  • RECEBIMENTO DE FORMULAS
  • DISPENSAÇÃO DE FÓRMULAS
  • TRANSPORTE DE FÓRMULAS
  • GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS
  • QUALIFICAÇÃO DE FORNECEDORES
  • TREINAMENTO DE FUNCIONÁRIOS
  • PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL
  • VISITAÇÃO MÉDICA
  • FÓRMULAS NÃO RETIRADAS
  • UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL E COLETIVO
  • ARQUIVO DE DOCUMENTOS
  • LIVRO DE RECEITUÁRIO
  • BALANÇO DE SUBST. SUJEITAS A CONTROLE ESPECIAL

HIGIENE E SANITIZAÇÃO:

  • LIMPEZA DOS LOCAIS DE TRABALHO
  • ASSEPSIA DE ACESSO AOS LABORATÓRIOS
  • LIMPEZA DE VIDRARIAS, UTENSÍLIOS E EMBALAGENS
  • LIMPEZA DOS EQUIPAMENTOS
  • LIMPEZA DA CAIXA D'ÁGUA
  • PROGRAMA DE CONTROLE INTEGRADO DE PRAGAS E VETORES
  • HIGIENE PESSOAL

CONTROLE DE QUALIDADE:

  • AVALIAÇÃO FARMACÊUTICA DA PRESCRIÇÃO, PROCESSO E PRODUTO ACABADO
  • AMOSTRAGEM
  • CONTROLE DE QUALIDADE DE MATÉRIAS- PRIMAS
  • CONTROLE DE QUALIDADE DA ÁGUA
  • CONTROLE DE TEMPERATURA E UMIDADE
  • CONTROLE DE QUALIDADE EM PRODUTOS ACABADOS SEMISSÓLIDOS E LÍQUIDOS (Emulsões, pastas, pomadas, géis, suspensões, soluções e preparações nasais)
  • CONTROLE DE QUALIDADE EM PROD. ACABADOS SOLIDOS
  • DETERMINAÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS ORGANOLÉPTICAS
  • DETERMINAÇÃO DE PH
  • DETERMINAÇÃO DE SOLUBILIDADE
  • DETERMINAÇÃO DA VISCOSIDADE
  • DETERMINAÇÃO DO GRAU OU TEOR ALCOÓLICO
  • DETERMINAÇÃO DA MASSA
  • DETERMINAÇÃO DA DENSIDADE
  • DETERMINAÇÃO DO PONTO DE FUSÃO
  • MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS
  • AUDITORIAS INTERNAS
  • RECLAMAÇÕES DE CLIENTES

PROCEDIMENTOS TÉCNICOS:

  • PESAGEM E HOMOGENEIZAÇAO
  • ENCAPSULAÇÃO
  • DILUIÇÕES
  • EXCIPIENTES
  • REVESTIMENTO ENTÉRICO
  • MANIPULAÇÃO DE HORMÔNIOS, ANTIBIOTICOS E CITOSTÁTICOS
  • MANIPULAÇÃO DE PÓS DE DOSES INDIVIDUAIS
  • MANIPULAÇÃO DE PREPARAÇÕES HOMEOPÁTICAS
  • MANIPULAÇÃO DE SUBST. DE BAIXO INDICE TERAPEUTICO
  • MANIPULAÇÃO DE LÍQUIDOS DE USO INTERNO
  • MANIPULAÇÃO DE SEMISSÓLIDOS E LÍQUIDOS (Soluções, emulsões, géis, pomadas, shampoos)
  • MANIPULAÇÃO DE PRODUTOS CONTROLADOS
  • CONTAMINAÇÃO CRUZADA
  • PRODUÇÃO DE ÁGUA
  • ROTULAGEM E EMBALAGEM
  • VERIFICAÇÃO PARA INICIO DA MANIPULAÇÃO
  • PRAZOS DE VALIDADE

PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SAÚDE:

  • IDENTIFICAÇÃO DO GERADOR
  • IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA CONTRATADA PARA TRANSPORTE E DESTINO FINAL
  • DEFINIÇÃO
  • IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS
  • SEGREGAÇÃO
  • ACONDICIONAMENTO
  • IDENTIFICAÇÃO
  • TRANSPORTE INTERNO
  • ARMAZENAMENTO
  • TRANSPORTE EXTERNO
  • TRATAMENTO E DESTINAÇÃO FINAL EM ATERRO
  • SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR

MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DE MANIPULAÇÃO:

  • OBJETIVO
  • REFERÊNCIAS
  • DEFINIÇÕES
  • ABRANGÊNCIA
  • REQUISITOS DA QUALIDADE
    • Organização e Pessoal
    • Infra-estrutura física, equipamentos, mobiliarios e utensílios
    • Materiais
    • Controle do processo de manipulação
    • Garantia da qualidade
    • Limpeza e sanitização
  • ANEXOS
    • Anexo I – Organograma Funcional
    • Anexo II – Matriz de responsabilidades
    • Anexo III – Planta baixa da farmácia com fluxograma operacional